Banco Inter chega a 4 milhões de clientes, e economia de correntistas ultrapassa R$ 2 bilhões

Publicidade

O Banco Inter acaba de atingir a marca de 4 milhões de clientes. O número foi alcançado antes do previsto, graças a uma aceleração no ritmo de aumento na base de correntistas.

Atualmente, a cada dia útil 13.000 pessoas passam a contar com os serviços digitais, completos e gratuitos do Inter. No final de 2018, o Banco contava com 1,45 milhão de clientes. O crescimento nesse período foi de 176%.

Em 2019, o Inter registrou o maior avanço de sua história em atração de novos clientes. O avanço também multiplicou a economia propiciada pela isenção de tarifas bancárias. A economia total dos clientes já ultrapassou R$ 2 bilhões só em 2019.

Enfim, o benefício total é o triplo do oferecido em 2018, quando a economia estimada ficou em R$ 668 milhões. Os dados são da Pesquisa de Economia Inter, iniciada em 2018 e que calcula periodicamente o número de operações gratuitas realizadas pela base de correntistas.

Publicidade

Primeiramente, o levantamento do Inter considera o volume de transações, custos de manutenção e valores cobrados pelo mercado para a utilização de um pacote completo de produtos e serviços. No ano, cada um dos correntistas deixou de pagar, em média, R$ 971,55 em tarifas bancárias, o equivalente a R$ 80,96 por mês. Da economia total, 55,6% correspondem às taxas de anuidade de cartão e de manutenção de conta e os outros 44,4% a transações como saques, TEDs, emissão de boletos e outros serviços bancários.

Banco Inter chega a 4 milhões de clientes, e economia de correntistas ultrapassa R$ 2 bilhões

“Além do aumento na base de correntistas, que superou as projeções feitas no início do ano, notamos que os clientes estão utilizando com maior frequência os nossos serviços. É um efeito multiplicador, em um ciclo virtuoso que gera valor para toda a sociedade”, afirma o CEO do Banco Inter, João Vitor Menin.

“Estamos falando em uma economia de mais de R$ 2 bilhões. Os números demonstram a economia que podemos oferecer aos nossos clientes graças a nossa proposta de sermos um banco digital, completo e gratuito”, reforça Menin.

Crescimento da instituição

O rápido crescimento da instituição fez com que o número de colaboradores saltasse, passando de 769, em 2017, para mais de 1.500. Com isso, o banco iniciou a sua mudança para uma nova sede.

Localizada em um novo marco arquitetônico em Belo Horizonte, o Edifício Aureliano Chaves. Inicialmente, o Banco vai ocupar 12 andares do prédio. A transferência de todos os funcionários deverá ser concluída em fevereiro.

Enfim, a transferência para a nova sede simboliza um ano de conquistas para o Inter. Em julho, o banco realizou uma bem-sucedida captação de R$ 1,2 bilhão com a emissão secundária de ações.

Os recursos serão usados no plano de expansão do Banco, que projeta dobrar a sua base de clientes nos próximos meses. A operação marcou também o ingresso do fundo japonês SoftBank no capital acionário do Inter. Investidor em grandes startups internacionais, entre elas a americana Uber e a chinesa Alibaba.

Todavia, outro marco do ano foi o lançamento do Super App, no início de novembro. A interface do aplicativo o Inter foi inteiramente reformulada, e agora oferece um marketplace com dezenas de lojas conveniadas, como Americanas e Netshoes.

Atualmente, o app também oferece a possibilidade de aquisição de passagens aéreas e reservar hotéis e outros serviços de viagem.

Com o objetivo de aprimorar os serviços oferecidos aos clientes, o Inter concluiu também dois negócios relevantes ao longo do último ano. Portanto, no início de novembro, foi anunciada a participação societária na gestora de investimentos DLM, especializada em crédito privado.

Em maio, foi revelada ao mercado uma parceria com a corretora de seguros Wiz. A maior e mais completa do país, com o objetivo de investir na distribuição de serviços pelos canais digitais.

Sobre o Banco Inter

O Banco Inter possui 25 anos de mercado e atuação em todo o território nacional. É o primeiro banco 100% digital do país e o único a oferecer uma conta totalmente isenta de tarifas. Que serve como porta de entrada dos clientes para uma completa plataforma digital de serviços.

O Inter foi o primeiro banco digital a abrir capital no Brasil, em abril de 2018, e está listado na Bolsa de Valores (B3). Em setembro de 2019, o banco contava com uma carteira de crédito de mais de R$4,4 bilhões; Com patrimônio líquido de R$ 2,189 bilhões e R$ 9,2 bilhões de ativos totais.

🔸🔸🔸 Posts Recomendados 🔸🔸🔸

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui