Emprestimo com garantia de imovel: Saiba tudo sobre esta modalidade de Empréstimo

Um emprestimo com garantia de imovel é uma linha de crédito que permite contratar um grande valor, com prazos de quitação longos e uma taxa de juros muito baixa. É muito popular na Europa e nos EUA.

Publicidade

No Brasil, está ganhando popularidade e chamando a atenção de muitos justamente porque as taxas de juros são as menores do mercado, muito menos do que os tradicionais cheques especiais e empréstimos pessoais.

Esse modelo de empréstimo é muito utilizado para negociar dívidas caras, investir em negócios e realizar projetos pessoais como estudar no exterior, aposentadoria e casamento.

Veja a seguir tudo sobre o empréstimo com garantia de imóvel. Fique até o final e saiba o passo a passo de como contratar um!

Publicidade

» Leia também: Itaú empréstimo consignado: Conheça as vantagens e como simular!

Emprestimo com garantia de imovel: como funciona?

Para usar o imóvel como garantia para um empréstimo, é necessário obter uma análise de crédito de uma instituição financeira e registrar um contrato em cartório.

Nesse caso, os ativos serão creditados ao banco durante o período de pagamento. Mas você pode continuar usando normalmente, se você aluga ou mora no mesmo (Não é permitido vender ou trocar).

No geral, a taxa de juros é de quase 1% ao mês (12% ao ano) e os bancos emprestam até 60% do valor do imóvel, que geralmente esse percentual é maior para imóveis residenciais e menor para imóveis comerciais, ou até mesmo um limite de 3 milhões de reais.

Publicidade

O prazo máximo de amortização varia de 10 a 20 anos, podendo optar por parcela fixa (Tabela Price) ou parcela reduzida (Tabela SAC).

Ao contratar um empréstimo você precisa apresentar documentos da propriedade e, em alguns casos, antes de assinar o contrato. Deve passar por uma inspeção presencial, lembre-se que você pode usar sua própria propriedade ou de terceiros.

A vantagem é que uma vez aprovado, o dinheiro será creditado na sua conta em pouco tempo, e você ainda pode usá-lo da maneira que quiser: quitar dívidas, sair de férias, investir em negócios, melhorar sua casa e qualquer outra coisa no plano.

Empréstimo com garantia de imóvel e hipoteca: Qual diferencia entre os dois?

Muitas pessoas pensam em um empréstimo garantido como uma hipoteca. Mas os dois contratos diferem significativamente.

Publicidade

Em garantias hipotecárias, os credores só podem reivindicar imóveis em caso de inadimplência, tornando o processo mais burocrático.

No home equity, o credor mantém a propriedade do imóvel. E em caso de incumprimento, a propriedade pode ser reclamada diretamente no cartório de imóveis, assumindo o imóvel em menos de um mês.

Portanto, empréstimos com garantia imobiliária são mais seguros para os bancos. Com isso, o interesse do cliente é bastante reduzido, porém, para o devedor, há um risco maior de perda de bens, portanto, tenha muito cuidado ao fazer esse tipo de empréstimo.

Tenha em mente que o patrimônio imobiliário não é tão prejudicial para a economia quanto as hipotecas que causaram a crise do subprime de 2008.

Vantagens desse crédito: Conheça as principais!

Os empréstimos com garantia imobiliária se diferenciam de outras formas justamente por trabalharem com garantias reais. Comparado a rotativo dos cartões de crédito, empréstimos pessoais e cheque especial, esse modelo de empréstimo pode ser melhor parcelado. Para facilitar, aqui estão as principais vantagens:

  • Prazo de pagamento mais longo: podendo parcelar em até 180 meses;
  • Taxa de juros: com as menores taxas de juros do mercado. Os empréstimos estão disponíveis com as taxas a partir de 0,99% ao mês;
  • Parcelas mais baratas: com um índice mensal de juros mais baixo. As parcelas são, portanto, mais apropriadas para quem paga;
  • Use-o como quiser: o empréstimo não tem finalidade específica. Isso significa que uma pessoa pode usá-lo para quitar dívidas e ainda investir em projetos pessoais, por exemplo.

Emprestimo Com Garantia de Imovel

Limite de R$ 3 milhões em até 180x com as menores taxas de juros no mercado!

(Você será transferido para outro conteúdo)

Processo de contratação: como pegar um emprestimo com garantia de imovel?

São necessárias algumas etapas e leva algum tempo até que o dinheiro seja depositado em sua conta. Esse processo leva mais tempo do que outras opções de empréstimos. Mas a espera valeu a pena! Como a taxa de juros é bem menor do que outros empréstimos, você tem acesso às melhores condições de pagamento.

Entenda abaixo como funciona todo o processo:

  1. Solicitação: Agora é possível simular empréstimos no site da instituição quando terminado. Você pode contratar online preenchendo seus dados ou por telefone, dependendo de cada empresa.
  2. Análise de Crédito: Nessa etapa, é analisada a situação financeira do cliente para ver se ele pode parcelar. Além de estimar a quantidade necessária. Se não atender aos critérios da empresa, o pedido é negado.
  3. Análise Jurídica e Avaliação de Imóveis: Os documentos do solicitante são revisados ​​e verificados. Enquanto isso os ativos são avaliados e se tornam garantia de pagamentos.
  4. Assinatura do Contrato: Depois de tudo aprovado, para assinar será fornecido um certificado de empréstimo conhecido como CCB (Cédula de Crédito Bancário), o imóvel deve ser registrado no Cartório de Registro de Imóveis. O contrato deve ser entregue ao banco.

Após estes passos, o crédito será liberado em sua conta.

Posso perder meus bens pegando esse empréstimo?

Sim, isso pode acontecer caso o cliente não pague a parcela, mas o processo de penhora dos bens do cliente é oneroso para o banco. Portanto, é a última escolha para a instituição.

Além disso, a empresa credora ainda corre o risco de não devolver o valor integral ao cliente. Quando um imóvel é vendido em leilão, o valor da venda é usado para liquidar a dívida e devolver o saldo ao proprietário. Portanto, o banco não obtém nenhum lucro com essa transação.

Tenha em mente que os ativos fixos não rendem juros. Isso sem falar nas chances de o banco demorar muito para se desfazer do imóvel ou não vendê-lo.

Isso não significa que o cliente pode relaxar e não pagar suas obrigações. Há ainda um risco de perda de propriedade e liquidação da dívida.

É possível morar, alugar ou vender um imóvel que esta sendo usado como garantia?

Você ainda pode desfrutar do seu bem da maneira que quiser, mesmo estando alienado. Isso permanecerá em nome da Empresa até que o cliente conclua o pagamento. Mas a propriedade direta continua sendo sua, você ainda pode viver e usá-la como sempre. Após o pagamento total do empréstimo, o imóvel será devolvido ao seu nome.

O proprietário pode vender o imóvel, mas deve pagar a dívida ou o novo comprador terá que assumir a dívida. Este processo é documentado no contrato e registrado em cartório.

Pode-se usar o imóvel como garantia em mais de um empréstimo?

Então não, os imóveis só podem ser associados a uma operação de crédito por vez. Porque é uma garantia para o reembolso da parcela.

» Recomendamos conferir: Empréstimo de 20 mil: Onde e como conseguir o seu online!

Condições aceitas do imóvel: Quais são?

As qualificações aceitas para este modelo de operação variam consoante o promotor de crédito. Mas em geral, imóveis residenciais ou comerciais, recém-construídos ou usados, averbados ou não-averbados, financiados ou quitados podem ser utilizados como garantia.

Imóveis financiados podem ser garantidos? No caso de financiamento imobiliário, O valor pago deve ser de, no mínimo, 50% do valor do imóvel, assim, a companhia pode proceder à transferência do empréstimo e das demais parcelas. Em troca, os clientes poderão usar suas casas como garantia para uma parcela menor do empréstimo.

Publicidade

Tenho que morar no imóvel? Posso alugar ou vender? O mutuário pode ou não residir no imóvel prometido como garantia. Se o cliente possui mais de um imóvel Ou decidir arrendar o imóvel em andamento, é possível. Para venda, ainda é uma opção desde que o comprador assuma a parcela, nesse caso a instituição deve identificar o melhor processo.

A casa tem que ser do contratante? Não necessariamente, mas o proprietário do imóvel deve estar envolvido em todo o processo de contratação, mesmo que não comprove os rendimentos a pagar.

Confira Também