5 Erros Mais Cometidos ao Solicitar Um Empréstimo Empresarial

Publicidade

Chega uma hora que, se você tem um empreendimento, terá que fazer um empréstimo empresarial.

Entenda que essa medida não é apenas recomendada em casos extremos de dívidas. Até mesmo como forma de investimento ou para compra de máquinas, aperfeiçoamento dos colaboradores, etc. pedir crédito é necessário.

Porém, mesmo como uma medida recomendada, isso não significa que não é preciso tomar cuidado.

O empreendedor precisa entender que, ao procurar por essa alternativa, ele está exposto a possíveis golpes.

Publicidade

Uma das formas de escapar é procurar conhecer melhor aonde você está se metendo e não se deixar impressionar por ofertas muito baratas.

Pensando nos cuidados que é preciso ter para fazer um empréstimo empresarial, nós separamos, neste texto, alguns dos principais erros a serem evitados. Confira!

O que avaliar antes de fazer uma concessão para sua empresa?

Antes de conhecer os erros, é preciso que você saiba o que é necessário observar na sua empresa, antes de ir atrás de crédito.

5 Erros Mais Cometidos ao Solicitar Um Empréstimo Empresarial

Uma situação muito comum é empreendedores, principalmente os mais novos, enfrentarem problemas para gerenciar o seu negócio e, por isso, acabarem adquirindo débitos.

A possibilidade de conseguir renda emprestada, para lidar com essa situação, pode ser a primeira coisa que se passa pela cabeça.

Contudo, se a necessidade chegar a esse ponto, ela precisa ser analisada com cautela. Afinal, o objetivo é sempre quitar as dívidas e não adquirir mais e entrar em uma bola de neve.

O ideal é que a gestão da empresa analise alguns indicadores, antes de se tomar uma decisão. Aqui vai os principais:

  • liquidez: nesse caso, é importante avaliar se aquilo que a empresa rende é o suficiente para bancar o seu funcionamento, isto é, gastos com manutenção, funcionários e ainda restar uma porcentagem para os investimentos;
  • endividamento: trata-se do quanto o empreendimento gasta, para lidar com as dívidas atuais, e se consegue cumprir com as obrigações das mesmas;
  • ganho sobre vendas: é o aquilo que a empresa consegue lucrar durante um determinado período com o que produziu;
  • atividades: quanto tempo a empresa leva para receber o lucro daquilo que gera.

A partir da avaliação de cada um desses itens é mais fácil, para a gestão, definir se nesse momento será possível fazer um empréstimo e, principalmente, se o empreendimento tem condições de lidar com as parcelas do crédito, sem prejudicar outras áreas.

5 erros para se evitar ao pedir um empréstimo empresarial

Agora que já sabemos o que deve ser avaliado, antes de se pedir uma concessão. Vamos conhecer os principais erros que devem ser evitados. Entenda!

1. Não entender como está a situação a empresa

Conhecer o seu empreendimento é uma atitude fundamental e que deve ser estimulada não só para pedir empréstimos como também para manter a empresa longe de dívidas.

Aqui, para ter sucesso, duas coisas são importantes: ter uma organização financeira e conhecer toda renda do negócio.

Ao conhecer como está a rentabilidade da empresa, é possível saber o que pode ser separado para lidar com o crédito, sem prejudicá-la.

Da mesma maneira, ter um planejamento das finanças vai ajudar a juntar o suficiente para lidar com os débitos futuros e não correr riscos com a concessão. Por isso, é essencial fazer um balanço patrimonial, com todas as despesas, rendas, fluxo de caixa, estoques, etc. Assim, o empresário fica mais seguro, já que sabe o quanto poderá pagar, pois conhece os seus limites financeiros.

2. Não realizar as simulações

Simulações são um ótimo instrumento para antecipar parcelas e saber quanto tempo será necessário para quitar o empréstimo. Além disso, esse recurso dá a chance de entender o quanto os juros e outros custos vão influenciar nesse tipo de débito.

A maioria dos sites de instituições financeiras oferecem essa ferramenta, de forma gratuita e, em muitos casos, online.

O recomendado é que ela seja utilizada antes de assinar o contrato, pois lhe ajudará na hora de se planejar.

Sempre procure por esse recurso e, caso não esteja visível, entre em contato com a instituição e peça para fazer uma. Dessa forma, você evita se surpreender com os valores finais das prestações do seu crédito.

3. Não conhecer as taxas cobradas

Empréstimos, principalmente fornecidos por bancos, costumam ter alguns encargos embutidos em suas parcelas. Nesse quesito, estão desde juros e taxas para administração até multas por atraso.

Muitas vezes, na ânsia de conseguir logo o crédito e resolver a sua situação, o empreendedor pode assinar o contrato e deixar passar essas tarifas.

A consequência, claro, é ter que pagar muito mais do que o necessário. Logo, é fundamental saber quais são e o quanto cada uma dessas taxas influenciará no empréstimo.

Aqui, além de conhecer os juros, também é importante saber sobre o CET (Custo Efetivo Total) para fazer uma análise correta do valor final das parcelas.

Aproveite para usar essas informações para comparar com outras propostas de crédito e, assim, poder escolher a que se encaixa melhor na situação do seu negócio.

4. Não verificar a fornecedora de crédito

Nesse caso, é uma questão de segurança sua e da sua empresa. Apurar sobre a financeira e qual é a sua reputação perante o mercado é uma forma de se prevenir de riscos e possíveis roubos.

Principalmente, em casos de empréstimos on-line, em que é comum empresas oferecerem ofertas incríveis. É muito importante fazer uma pesquisa sobre o histórico da instituição e procurar saber se ela está devidamente registrada.

Você pode pesquisar sobre o a procedência da financeira no site da Receita Federal.

5. Fazer um empréstimo pessoal

Pode até parecer estranho, mas é bem comum que o empreendedor, principalmente o iniciante, não tenha um limite bem claro entre o pessoal e o profissional.

Isso não é só na maneira como ele lida com as suas finanças, mas também um comportamento comum, quando vai atrás de crédito para a sua empresa.

Em um primeiro momento, pode não parecer grave, entretanto, ir atrás de um empréstimo pessoal, em vez de um específico para o empreendimento, é um grande passo para prejudicar o lado financeiro da empresa.

Sabemos que a concessão de crédito pessoal tem muitas modalidades interessantes, porém, elas são específicas para determinadas situações.

Além disso, as condições oferecidas, nesse caso, são mais complicadas, com juros e taxas mais altas e, muitas vezes, o limite oferecido não é o suficiente para um negócio.

Portanto, o ideal é não misturar as coisas e, se o objetivo é cuidar da empresa, procurar uma linha de crédito própria.

Acreditamos que, com todas as informações aqui encontradas, você já está preparado para lidar com um empréstimo empresarial.

🔸🔸🔸 Posts Recomendados 🔸🔸🔸

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui