Pagamentos instantâneos: Entenda agora o que são e como funcionarão!

O que é um pagamento instantâneo

Publicidade

Imagine a situação: você quer pagar alguém em um domingo, às 5h da manhã. Você não tem cartão e nem a pessoa tem maquininha, então vai ter que ser por transferência bancária. Mas vocês têm conta em bancos diferentes: como então transferir pelo celular sem precisar esperar até o próximo dia útil?

Em breve, no Brasil, isso não será mais um problema, porque em no máximo 10 segundos o seu dinheiro já vai aparecer na conta da outra pessoa. Em pleno domingo, às 5h01 da manhã.

Isso é o que promete o novo sistema de pagamentos instantâneos, que está sendo implementado pelo Banco Central e deverá iniciar seus testes públicos até o final de 2020.

Abaixo explicaremos de forma simples e sem lero-lero os benefícios que isso irá trazer para o seu dia-a-dia.

Publicidade

Hoje em dia a burocracia bancária é um grande limitador para pagamentos. Por exemplo, se você tem um dinheiro no Nubank e quiser transferir para algum outro lugar, precisa fazer uma transferência TED, que só funciona nos dias úteis das 6h30 às 17h. Se passou desse horário, só no dia útil seguinte.

Quando pagador e recebedor são da mesma instituição, aí sim é possível fazer a transferência na hora, em qualquer horário ou dia da semana. Mas se forem instituições diferentes, não dá.

Hoje, os pagamentos instantâneos já existem, mas ambas as partes precisam ter o mesmo aplicativo instalado. Por exemplo, você pode enviar dinheiro na hora de uma conta PicPay para outra. Também pode pagar com o saldo existente no app, usando o QR code em maquininhas compatíveis. Mas se o comerciante não tiver essa maquininha ou não tiver conta no PicPay, você não pode fazer nada.

O que o Banco Central quer fazer é ser o intermediador de pagamentos entre as instituições, o que permitirá que elas se comuniquem 24h por dia, 7 dias por semana.

Publicidade

Como funcionará

Na prática, o usuário terá o poder de escolher qual instituição usar para enviar e receber pagamentos, e a transação será imediata.

Com o tempo, não existirão mais TED nem DOC, e o custo de transferência irá cair bastante.

Com a popularização do processo de pagamentos, qualquer um poderá enviar dinheiro para outra pessoa pelo celular, na hora.

A tendência é você nem precisar sacar dinheiro em papel, pois não irá precisar dele. Vai conseguir pagar o pão, o cafezinho, o cabeleireiro, tudo com o celular.

pagamento instantâneo

Compatibilidade entre QR codes

Durante muitos anos, cada aplicativo desenvolveu seu sistema de QR code para facilitar os pagamentos. O problema é que cada um só é compatível com ele mesmo. Por exemplo, as maquininhas da REDE só geram QR code compatível com o iti do Itaú. As da Cielo apenas com alguns outros, como PicPay, next e BB. Os códigos do Nubank só servem para outras contas do próprio banco.

O BACEN pretende padronizar os QR codes, fazendo os aplicativos funcionarem entre si, todos ligados ao sistema de pagamentos instantâneos.

Por exemplo, você poderá gerar um QR code no aplicativo do MercadoPago e o app do PagBank poderá lê-lo para enviar dinheiro, na hora. Ou do PicPay para o Bradesco, você quem escolherá qual aplicativo usar.

Quem irá participar

Todos. Não é algo específico de algumas instituições e sim uma mudança que afetará todo o sistema bancário e de pagamentos no Brasil. Então, além dos bancos tradicionais e digitais, também os aplicativos de pagamento se beneficiarão do novo sistema.

O que você irá precisar

Qualquer um que tiver um smartphone e uma conta em alguma instituição bancária ou de pagamento, poderá enviar ou receber dinheiro para quem quiser. Inclusive os já conhecidos aplicativos digitais.

Então, mesmo quem hoje não tem acesso à uma conta bancária ou a um cartão de crédito, poderá ser incluído nisso.

🔸🔸🔸 Posts Recomendados 🔸🔸🔸

Confira Também