Peixe Urbano lança carteira digital para pagamentos e compras por QR Code

Depois de testes, a empresa lança sua carteira digital, venha conferir!

Publicidade

A partir de hoje, o Peixe Urbano lança a sua carteira digital Peixe Pay, e-wallet que poderá ser usada em pagamentos diretos no aplicativo e em compras realizadas em estabelecimentos físicos espalhados pelo Brasil. Nos últimos meses, o produto estava sendo testado no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Conforme revelado à Exame, o serviço deixa a fase de testes e começa a expansão nacional.

Peixe Urbano lança carteira digital 

Quem tiver interesse, pode solicitar a adesão diretamente no site, preenchendo um formulário de parceiro, acesse o site oficial. Aparentemente, vai passar por uma análise normal como se fosse um parceiro da plataforma, com acesso posterior ao aplicativo.

“Queremos simplificar o processo de pagar contas, economizar tempo em fila e criar uma plataforma de benefícios para o usuário”, diz Ilson Bressan, CEO do Peixe Urbano.

De acordo com o executivo, a plataforma deve ofertar programas de fidelidade com estabelecimentos específicos.

Publicidade

“Os parceiros terão ainda mais capacidade para gerar fluxo de clientes.”

A partir do momento em que o aplicativo for lançado, a empresa pretende passar dos 200 avaliados durante a fase de testes para 100 mil nos próximos 18 meses. Com essa meta inicial, a empresa espera atingir 4 milhões de usuários e, posteriormente aumentar esse número em 50%.

Peixe Urbano lança carteira digital para pagamentos e compras por QR Code

Confira os planos e pagamento de transações via Peixe Pay

  • Taxa inicial de 3,49% + IVA por transação. A taxa pode variar de acordo com o volume de pagamentos recebidos!
  • Repasse: O pagamento é disponibilizado em sua conta cadastrada 15 dias após a transação

O terminal de pagamentos via QR Code remunera a empresa a partir de um percentual de cada transação feita. Dessa forma, o Peixe Urbano além de trabalhar com clientes com cupons, vai receber pagamentos de clientes sem cupom, seguindo uma estratégia semelhante a de outras empresas digitais que querem atacar o varejo físico, como o Mercado Livre, iFood e o PicPay, por exemplo.

Cada vez mais veremos o consumidor brasileiro acostumando-se com o pagamento através de carteiras digitais. Na Europa e na América do Norte, os gastos dos consumidores por meio de carteiras digitais devem aumentar 40% em 2019 em relação ao mesmo período de 2018.

A guerra das maquininhas continua bastante acirrada, com a entrada de novos players no mercado que não faziam parte do segmento de pagamentos, inclusive com a entrada de bancos tradicionais.

🔸🔸🔸 Posts Recomendados 🔸🔸🔸

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui